Polícia instaura inquérito para apurar morte de industriário durante exame



Kleiton Costa

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar a morte do industriário Edilberto Lopes Batista, de 51 anos, que faleceu após a realização de um exame de endoscopia em uma clínica particular de Feira de Santana.  O procedimento adotado pelo SAMU também está sendo alvo da apuração.

“De acordo com o relato da filha, o pai já saiu morto e o SAMU transportou o corpo. Quando acontece isso, o DPT é acionado para fazer a remoção do corpo e a necropsia”, explicou a delegada Bianca Torres.

A delegada disse estranhar a conduta dos profissionais de saúde e informou que, ao fim do inquérito, eles poderão ser indiciados, caso sejam comprovadas atitudes fora da legalidade.

Bianca informou que o advogado já esteve na delegacia e agendou o depoimento dos profissionais envolvidos no atendimento ao industriário. Já para a direção do SAMU foi enviado um ofício solicitando a identificação da equipe que atuou no caso.

Prefeitura instaura sindicância

Através de nota à imprensa, a Secretaria de Saúde do município informou que afastou a equipe que fez o atendimento ao industriário e instaurou uma sindicância para apurar a conduta dos profissionais.

Confira a nota divulgada pela Prefeitura:

A Secretaria Municipal de Saúde instaurou uma sindicância para apurar o procedimento de uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) em relação a condução do corpo do industriário Edilberto Lopes Batista, de 51 anos, morto ao ser submetido a endoscopia, em uma clínica particular da cidade, para a residência da família. 

A comissão de sindicância é formada por cinco pessoas integrantes da Secretaria de Saúde e tem prazo de 30 dias para apresentar relatório com as conclusões sobre o caso. Familiares do industriário reclamam da atitude da equipe médica, entendendo que o corpo não deveria ter sido levado para a residência – eles acreditam que a morte não foi por “causas naturais”.

Enquanto acontece a apuração do ocorrido, a Secretaria de Saúde decidiu afastar a equipe que esteve na clínica e adotou o procedimento que vem sendo questionado. “Não estamos penalizando ninguém. Por enquanto, há um fato a ser apurado e não se pode afirmar que a conduta tenha sido certa ou errada”, informa a secretária Denise Mascarenhas.

Com informações do repórter Messias Teles do de olho na cidade

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com