Polícia

Justiça nega prisão de padre que atropelou suspeito de furtar igreja

Jurista entendeu que o religioso não oferece riscos

A Justiça de São Paulo negou o pedido da polícia para prender o padre Gustavo Trindade dos Santos, que atropelou um homem suspeito de furtar a igreja em São Paulo.

O juiz entendeu que, apesar de a atitude ser grave, o religioso não oferece riscos e os advogados colaboram com as investigações. Por isso o clerigo não teve o pedido de prisão decretado pela Justiça.

O suspeito, que está internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, furtou três moletons e uma camisa. O veículo está registrado em nome da paróquia e a autoridade religiosa foi afastada das atividades.

O atropelamento, flagrado por uma câmera de monitoramento, ocorreu na noite do domingo (8) quando o religioso jogou o carro contra o suspeito de furto praticado na casa paroquial.

A Polícia Militar confirmou em boletim de ocorrência que o padre dirigia o carro no momento do atropelamento.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com