Notícias

Gasto com cesta básica consome mais da metade do salário mínimo, diz Dieese

Levantamento foi realizado em 17 capitais brasileiras

Em janeiro deste ano, quem recebeu até um salário mínimo chegou a comprometer 55,20% da renda para comprar uma cesta básica de alimentos. Isso é o que mostra a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que realiza um levantamento de preços em 17 capitais brasileiras.

São Paulo tem a cesta básica mais cara do país, no valor de R$ 713,86, o equivalente a 63,27% da renda total de um trabalhador que recebe até R$ 1.212 por mês. Em seguida estão as cidades de Florianópolis (R$ 695,59), Rio de Janeiro (R$ 692,83), Vitória (R$ 677,54) e Porto Alegre (R$ 673).

Segundo o Dieese, o valor ideal de um salário mínimo para cobrir os custos de uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 5.997,14, o equivalente a quase 5 vezes o valor do salário mínimo. Neste cenário são levados em conta gastos básicos como alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

O departamento também indicou que a jornada média de trabalho para comprar os produtos da cesta diminuiu algumas horas, saindo de 119 horas e 53 minutos em dezembro para 112 horas e 20 minutos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com